Comunicada de Imprensa

comunicato | Roma, 29 Março 2018

O CDA de Engineering aprova o projeto de balanço e o balanço consolidado

Superada a importante meta de 1 bilhão de proventos. Todos os indicadores em forte crescimento. Previsões positivas também para 2018.

  • O valor da produção cresce e atesta-se em 1.028,8 milhões de euros +10,1% (o pró-forma, consolidando integralmente as aquisições de 2017, é igual a 1.120 milhões de euros)
  • O EBITDA Adjusted é igual a 122,9 milhões de euros +13,5% (o pró-forma, consolidando integralmente as aquisições de 2017, é igual 136 milhões de euros)
  • O EBIT é igual a 64,8 milhões de euros (+15,7%)
  • O lucro lìquido é igual a 52,3 milhões de euros (+15,3%)

O Cda de Engineering Ingegneria Informatica S.p.A. – sociedade líder na Digital Transformation - aprovou o projeto de Balanço 2017 e de Balanço consolidado.
Este que se concluiu é um exercício que viu a Engineering operar com uma estrutura articulada, resultado da atenta política de aquisição atuada nos últimos anos com o exato objetivo de definir uma oferta, tanto a nível nacional que internacional, sempre mais integrada e de vanguarda.

Com 10.300 funcionários e 50 sedes distribuídas entre Itália, Europa, América Latina e EUA, a chefe de grupo Engineering Ingegneria Informatica, diretamente e através das controladas, tem um papel de primária importância na assessoria para a definição das estrategias de digitalização de empresas e grandes organizações. Além disso, graças aos seus quatro data center localizados em Pont Saint-Martin (AO), Turim, Vicenza, Milão – cujas atividades são sob a responsabilidade da controlada Engineering D.HUB S.p.A – o Grupo está em primeira linha também na oferta de soluções de Cloud Computing e de serviços garantindo os melhores padrões de segurança, confiabilidade e eficiência. Aos resultados do Grupo concorrem de modo relevante os investimentos em Pesquisa&Desenvolvimento que em 2017 foram de 30 milhões de euros. Uma boa parte destes investimentos são dedicados ao constante desenvolvimento das soluções proprietárias do Grupo, que por este motivo confirma-se como primeiro produtor de software do mercado italiano. A reconhecida qualidade da atividade de R&D coloca Engineering à guia de importantes consórcios italianos e internacionais.

Michele Cinaglia, fundador e presidente de Engineering, declarou: ”O exercício recém concluído premia a abordagem de constante investimento que sempre perseguimos. Desde 2000 investimos cerca de 500 milhões de euros na empresa, certos de que isso teria permitido de criar uma realidade sempre mais fundamental para a digitalização do nosso País e não somente”.

Paolo Pandozy, CEO de Engineering, continuou: “Em 2017 alcançamos e superamos todos os objetivos estabelecidos, mas outrotanto importantes e ambiciosos são aqueles que nos propomos para o ano 2018. Para o mercado ICT os analistas preveem crescimentos entre 10% e 30% para os segmentos nos quais investimos de modo mais significativo, como Big Data e Analytics, Cloud, IoT, Cyber Security, e onde a entrada em vigor da GDPR irá gerar mais demanda. Estamos prontos a colher todas estas oportunidades, gerando ao mesmo tempo novas oportunidades de trabalho. Somente no primeiro trimestre de 2018 lançamos uma procura de 500 pessoa e prevemos um crescimento do orgânico em linha também para a segunda metade do ano”.

MERCADOS E RESULTADOS
A oferta de Engineering é dirigida a clientes de médias e grandes dimensões privados (bancos, seguros, indústria, serviços e telecomunicações) e públicos (saúde, administração pública locas, central e defesa).

O Grupo Engineering encerrou o exercício 2017 com um crescimento de dois dígitos tanto nos proventos que na rentabilidade. O valor da produção alcançou os 1.028,8 milhões de euros, em crescimento de 10,1%. (O pró-forma, consolidando integralmente as aquisições de 2017, é igual a 1.120 milhões de euros). O EBITDA Adjusted é igual a cerca de 123 milhões de euros, com crescimento de 13,5% em relação ao exercício anterior (O pró-forma, consolidando integralmente as aquisições de 2017, é igual a 136 milhões de euros).
O EBIT é igual a 64,8 milhões de euros, com um incremento de 15,7 e uma rentabilidade percentual de cerca de 6,5%. Finalmente, o lucro líquido é igual a 52,3 milhões de euros, em crescimento de 15,3% em relação ao mesmo período do exercício anterior.

FINANÇA
No curso do exercício, Engineering viu o fortalecimento do crescimento no mercado da Finança tanto pelo volume de business que pela rentabilidade, registrando um +10,2% em termos de valor de produção e +23% de EBITDA. Resultados fruto de uma política atenta às dinâmicas do mercado e à qualidade das soluções e dos modelos operativos propostos. Centrais para o crescimento foram as soluções proprietárias, especialmente as mais avançadas tecnologias de Big Data e Analytics, que representam fatores habilitantes para novos processos de business, e as soluções ligadas às evoluções normativas e regulamentares, entre as quais IFRS9 e Anacredit.
Em dezembro de 2017 foi aperfeiçoada a aquisição da sociedade Infogroup, já parte do Grupo Intesa SanPaolo, que enriquece a oferta do Grupo de produtos para o mercado finance com soluções para o Corporate Banking, os Sistemas de Pagamento e o Banco/seguro. Para o 2018 a estrategia prevê a continuidade da roadmap de crescimento dos próprios produtos, com especial focus na assessoria em âmbito Compliance, Governance, Risk, Customer, Credit, Payments, Insurance e Advisor e da transferência de soluções inovadoras no segmento para Analytics, Robotic Process Automation, Cyber Security e Cloud.

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
O Grupo opera no mercado da Administração Pública, tanto local quanto central, e da Saúde com uma rica oferta de soluções que, no tempo, geraram eficiência e valor acrescentado.
Um focus especial merece o segmento da Saúde, que em 2017 viu a Engineering consolidar o próprio posicionamento também através da renovação de contratos plurianuais e a aquisição de novos importantes clientes. Durante o ano foram efetuados importantes investimentos nas soluções proprietárias em âmbito clínico com o uso difuso de técnicas de máquinas learning para a análise dos dados dos pacientes.
A área, em seu conjunto, registrou um crescimento de cerca de 6% em termos de valor de produção, e em termos de EBITDA registra um decrescimento de 6,8% em relação ao exercício anterior. Este único indicador de desempenho negativo é o reflexo de condições extraordinárias cujo efeito é contrabalanceado pela adjudicação de importantes contratos que produzirão seus efeitos entre 2018 e 2019, reafirmado a liderança de Engineering no mercado da Administração Pública.

INDÚSTRIA & SERVIÇOS
A forte retomada dos investimentos das empresas, inclusive na onda do plano nacional para a digitalização das empresas manufatureiras, reflete-se no desempenho de Engineering que, no segmento em exame registrou um crescimento em termos de valor da produção de 8,8% e um EBITDA em incremento de 36,8%.
Com a renovação da oferta de D.HUB, Engineering colheu a oportunidade colocando no mercado uma proposta de serviços digitais inovadores como a RPA (Robotic Process Automation) os projetos de transformação em cloud dos serviços, a nova suite de produtos (DIVE) que se baseia em tecnologias de machine learning para a manutenção preditiva e a otimização dos processos produtivos. Graças às importantes aquisições que o Grupo realizou na Itália, Alemanha e Estados Unidos, Engineering é uma das poucas realidades capazes de suportar as empresas em seu ciclo de produção, da fase de desenho do manufaturado até a automação da produção, assim como nas fases de after sales, onde as lógicas de manutenção preditiva garantem ao cliente a capacidade de oferecer, por sua vez, serviços com valor acrescentado.
Deve ser colocado em destaque como também as novas soluções baseadas na aplicação de técnicas de realidade aumentada (GeoCall) estão se afirmando a nível internacional como soluções de referência na área do Work Force Management, completando, junto com a forte competência sobre os temas dos ERP e do CRM, uma oferta única para a cobertura de processos e difusão geográfica.

TELCO & UTILITIES
Finalmente, no mercado com maior índice de competição, como o das TELCO, Engineering recolhe os resultados do importante processo de diversificação da oferta e ampliação da pasta de clientes que hoje vê, entre as atividades mais significativas, junto com a assessoria, os serviços em Revenue Sharing com os operadores telefônicos (Mobile Payments, Centro Stella, Serviços Premium), a participação aos processos de Vendor reeingeneering, o outsourcing IT, a concepção e refazimento das plataformas ERP e os serviços para o Billing e a Assurance.
Graça a eficiência das soluções proprietárias Net@suite e Geocall (OverIT) - das quais foram lançadas as versões Cloud baseadas na plataforma de Cloud Híbrido do Grupo - Engineering consolidou em 2017 o próprio posicionamento no específico segmento Utilities, confirmando-se como um dos principais player deste mercado. De modo especial no curso do ano o Grupo fez a sua entrada no mercado espanhol com os primeiros importantes clientes iniciando relações de parceria para a difusão das citadas soluções proprietárias. Tudo isso valeu o mais significativo aumento em termos de valor da produção para o segmento em exame que registrou um crescimento em termos de valor da produção de 15,6% e em termos de marginalidade de 18,7%.
Finalmente, confirmando a constante capacidade de desenhar novos cenários, em 2018 iniciou a experimentação com alguns primários cliente das soluções NILM (Non Intrusive Load Management) para a análise dos dados de consumo, da qual são esperados significativos resultados. A solução, única no mercado, utiliza as competências do Grupo no IoT e no Machine Learning para a leitura e a interpretação dos dados de consumos para atribui-los ao aparato/eletrodoméstico que os gerou, uma autêntica revolução no campo de controle dos consumos energéticos.